https://youtu.be/utY0lGpG0WY Sua pergunta veio num tom de desafio, depois de você ter lido ou assistido um vídeo no qual respondo a respeito da congregação da qual você é membro. Quase pude escutar você gritando: "VOCÊ CONHECE A CONGREGAÇÃO ...

Your email updates, powered by FeedBlitz

 
Here are the FeedBlitz email updates for you. Click here to start your FREE subscription



Você conhece minha igreja para poder criticar? and more...

Você conhece minha igreja para poder criticar?

 


https://youtu.be/utY0lGpG0WY

Sua pergunta veio num tom de desafio, depois de você ter lido ou assistido um vídeo no qual respondo a respeito da congregação da qual você é membro. Quase pude escutar você gritando: "VOCÊ CONHECE A CONGREGAÇÃO X", e no lugar do "X" o nome de sua religião. Como você perguntou nesse tom, talvez nem queira uma resposta, mas estava apenas me desafiando no sentido de tentar mostrar que não posso falar de uma denominação que não conheço.

Como já não é a primeira vez que recebo essa pergunta, no mesmo tom e vinda de alguém da mesma congregação que você frequenta, acredito que a melhor resposta é deixar claro que sua pergunta foi dirigida à pessoa errada. Não era a mim que devia perguntar, mas a outras pessoas com até mais autoridade que eu para responder. Você deveria perguntar assim, anote aí:

"Paulo, André, Bartolomeu,Tiago, João, Mateus, Filipe, Simão Pedro, Simão Zelote, Tomé, Matias, Lucas, Marcos, Lídia, Priscila, Áquila, Apolo, Ágabo, Cléofas, Barnabé, Justo, Ananias, Estevão, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Parmenas, Tito, Filemon, Onésimo, Epafras, Arquipo, Silas, Silvano, Andrônico, Urbano, Narciso, Aristóbulo, Ágabo, Rufus, Hermes, Caio, Lúcio, Tércio, Erasto, Quarto, Onesíforo, Clemente, Sóstenes, Tíquico, Epafrodito, Carpo, Aristarco, Trófimo, Artemas, Dorcas, etc., etc., etc.... Vocês conhecem a Congregação X? Já ouviram falar dela?"

Se eles, que foram sem dúvida cristãos e muitos deles companheiros pessoais de Jesus, nunca ouviram falar dessa tal congregação, então você já sabe o que deve fazer. Nem preciso dizer. E aproveito para transcrever aqui um texto de autor desconhecido que explica bem a loucura que é alguém criar alguma denominação religiosa ou se fazer membro de uma. O título do texto é:

"Que denominação é esta?"

Esta é uma pergunta que de um modo geral se faz quando se dá um folheto, ou quando convidamos a alguma reunião para o estudo da Palavra de Deus. Sem dúvida é uma pergunta sábia, especialmente nestes dias de tanta confusão. Mas, o que teria acontecido se a mesma pergunta houvesse sido feita nos dias dos apóstolos? Suponhamos que você tivesse vivido naquela época, e um dia se encontrasse com o apóstolo Pedro e lhe perguntasse:

— Pedro, que denominação é esta?

Você pode imaginar a resposta? Pedro, sem dúvida, teria coçado a cabeça completamente perplexo, porque não haviam denominações na sua época. O crente procurava seguir a ordem divina.

Deus tem uma Igreja neste mundo, mas não é uma organização da qual você pode por si próprio tornar-se membro. É possível fazer-se membro de uma "igreja" feita por homens, e depois "deixá-la" se você não ficar satisfeito. Mas você nunca poderia fazer a si mesmo membro da Igreja de Deus, a qual é chamada "a Igreja do Deus vivo" (1 Timóteo 3.15).

Temos que voltar ao fundamento, o qual é Cristo. "Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3.11). A Palavra de Deus nos diz que somos pecadores culpados diante dEle, perdidos em nossos pecados e "por natureza filhos da ira" (Efésios 2.1-3). Mas Deus, em Seu amor e misericórdia, enviou Seu próprio Filho a este mundo para pagar por nossos pecados na cruz.

Primeiro o Senhor Jesus veio a Seu próprio povo terreno, Israel. "Veio para o que era Seu e os Seus não O receberam" (João 1.11). Então, foi entregue para morrer na cruz pelos pecados de todo o mundo. Triunfante, Se levantou de entre os mortos, ascendeu à destra do Pai, e enviou o Espírito Santo ao mundo no dia de Pentecostes.

Com Sua ascensão e a vinda do Espírito Santo, havia chegado o tempo, no programa eterno de Deus, de colocar de lado a nação de Israel, e trazer uma coisa completamente nova -- Sua Igreja. É chamada "Igreja, que é o Seu Corpo" (Efésios 1.22,23).

Sua Igreja não é "denominada". Isto é, não tem nome dado pelos homens, nem é uma organização humana, porém é composta de pessoas salvas, tanto judeus como gentios. Não tem lista de membros na terra, e ninguém pode fazer-se membro dela. Mas quando alguém vem a Deus como um pecador culpável, e recebe ao Senhor Jesus Cristo em seu coração como seu Senhor e Salvador, seu nome está escrito no Céu e imediatamente é "acrescentado" à Igreja pelo próprio Senhor (Atos 2.47). Passa a levar, então, o nome de seu Salvador, e é feito uma "nova criatura" em Cristo (2 Coríntios 5.17). Não necessita outro nome e nem precisa fazer-se membro de algo inventado pelo homem.

Durante o tempo primitivo da Igreja, os crentes se reuniam simplesmente para estudar a Palavra. Não tinham nomes ou organizações denominacionais, e nem o mecanismo da atualidade. Mas as idéias mundanas penetraram mais e mais, e a simplicidade devida a Cristo desapareceu (2 Coríntios 11.3). O homem religioso sempre está acrescentando algo à ordem simples de Deus.

Deus não é o autor de nenhuma denominação. Algumas delas abraçam algumas verdades bíblicas muito sadias, e têm muitos crentes, nascidos de novo, em suas organizações. Mas os crentes são assim divididos uns dos outros por seus nomes. Isto é um pecado contra Deus.

Os crentes primitivos não se "denominavam" ou tinham nomes postos por eles. Eram conhecidos por termos como "discípulos", "crentes", "santos", "cristãos", ou qualquer nome que pudesse ser levado por TODOS os crentes. Não temos nenhuma base bíblica para levar um nome que não possa ser levado por todos os filhos de Deus neste mundo. Fazer isto é querer dividir o "um só Corpo" de Cristo (1 Coríntios 12.12).

O filho de Deus deve ter um sadio e inteligente conhecimento da Palavra de Deus. Não deve estar em jugo desigual tendo comunhão com os inconvertidos, mas deve "sair do meio deles" como nos diz 2 Coríntios 6.14-18. Os crentes devem tratar de, a qualquer custo, se reunir para estudar a Palavra a fim de se edificarem uns aos outros na fé. Muitas vezes isto tem que ser feito em pequenas reuniões caseiras, porque a verdade não é aceita em lugares humanamente elevados. "Saiamos, pois, a Ele fora do arraial, levando o Seu vitupério" (Hebreus 13.13).

Veja também:

http://www.respondi.com.br/2016/02/por-que-voce-critica-minha-igreja.html

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
     
 



Jesus mandou dar o dízimo?

 


https://youtu.be/R1N_PQapcXs

Você perguntou por que não estaríamos hoje, como cristãos, obrigados a dar o dízimo se o próprio Jesus disse nos evangelhos que o dízimo devia ser pago. Sim, ele disse em Mateus 23:23: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas." A mesma ordem ele repete em Lucas 11:42.

Mas em Mateus 8:4 ele também disse ao leproso curado para ir ao templo oferecer os sacrifícios ordenados pelos sacerdotes de Israel: "vai mostrar-te ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo." Esses sacrifícios para quem fosse curado de lepra haviam sido determinados em Levítico 14:4-7 que consistia de "duas aves vivas e limpas, e pau de cedro, e estofo carmesim, e hissopo", uma das quais era morta "num vaso de barro, sobre águas correntes", enquanto "a ave viva, e o pau de cedro, e o estofo carmesim, e o hissopo" deviam ser molhados "no sangue da ave que foi imolada sobre as águas correntes. E, sobre aquele que há de purificar-se da lepra" o sangue deveria ser aspergido "sete vezes; então, o declarará limpo e soltará a ave viva para o campo aberto."

Como você faria hoje caso fosse curado de lepra? Teria um grande problema, primeiro por não existir mais o Templo de Jerusalém. Se fosse até lá tentar oferecer um sacrifício na mesquita islâmica que ocupa hoje o lugar do Templo é provável que algum radical islâmico transformasse você em sacrifício. Você também teria dificuldade de encontrar um sacerdote da linhagem de Levi, como devia ser no mandamento dado pela Lei de Moisés.

Em Mateus 5:23-24, no caso de alguma desavença, Jesus instruiu: "Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta." Como você fará se brigar com um irmão? Isso terá sido um pecado e no Antigo Tesamento, o mesmo que estipulava o dízimo, os pecados exigiam sacrifícios de animais.

Para complicar um pouco mais, veja o que Jesus diz no mesmo capítulo: "Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus." (Mt 5:18).

O dízimo, a oferta pela cura e os sacrifícios pelos pecados, incluindo ofensas contra seu irmão, eram ditados pela Lei dada a Moisés. Portanto, se quiser guardar um mandamento — como o dízimo, por exemplo — terá também de guardar os outros. Mas você talvez alegue que dos sacrifícios de animais nós estamos isentos agora que o Cordeiro de Deus morreu por nós. Bem, mas não eram apenas sacrifícios de animais que eram exigidos pela Lei. Veja alguns exemplos:

"Aquele que blasfemar o nome do Senhor, certamente morrerá; toda a congregação certamente o apedrejará; assim o estrangeiro como o natural, blasfemando o nome do Senhor, será morto." (Lv 24:16).

"Quando um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, certamente morrerá; amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue será sobre ele." (Lv 20:9).

"Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera." (Lv 20:10).

"Seis dias se trabalhará, mas o sétimo dia vos será santo, o sábado do repouso ao Senhor; todo aquele que nele fizer qualquer trabalho morrerá." (Êx 35:2).

"Porém se isto for verdadeiro, isto é, que a virgindade não se achou na moça, então levarão a moça à porta da casa de seu pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão, até que morra; pois fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai; assim tirarás o mal do meio de ti." (Dt 22:2021).

"Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles." (Lv 20:13).

Agora, para encerrar por aqui (porque são muitos os mandamentos da Lei semelhantes a estes e punidos com a morte), vou acrescentar o mandamento que você mencionou:

"Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do SENHOR; santas são ao Senhor..." (Lv 267:30 etc.).

Então, para sua pergunta se Jesus mandou dar o dízimo, a resposta mais uma vez é: Sim, ele mandou, porque o contexto ali dos evangelhos é o judaísmo e ele está tratando com judeus, o povo escolhido por Deus para habitar na terra. Havia o Templo, havia sacerdotes, sacrifícios, pena de morte por apedrejamento para adúlteros, virgens que fornicaram, homossexuais e até filhos que ofendessem os pais. E eram exigidos sacrifícios para quem brigasse com um irmão.

Se você não entender o que na Bíblia é dito a Israel sob a Lei, e o que é dito à Igreja, que só foi formada depois do período dos evangelhos, no capítulo 2 de Atos, irá sempre precisar escolher o que da Lei irá ou não cumprir. É isso que a maioria das religiões cristãs que seguem a Teologia do Pacto fazem, por não entender as diferentes dispensações.

Porém, ao fazer isso — ou seja, escolher qual mandamento da Lei irá ou não cumprir — estará trombando naquilo que Jesus disse: "Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus." (Mt 5:18), e também no que Tiago escreveu: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tg 2:10).

Agora preste muita atenção principalmente neste versículo de Tiago e você verá que todo o dinheiro que deu a vida inteira de nada terá valido se você tiver falhado em cumprir qualquer outro ponto da Lei. Será culpado de todos. E, para dificultar ainda mais as coisas, até na hora de dar o dízimo você certamente não cumpriu tudo do jeito que estava escrito: "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro" (Ml 3:10). A "casa do tesouro" não é a tesouraria de alguma "igreja" abrigada em um templo de tijolos feito por homens. A "casa do tesouro" era um aposento do Templo de Jerusalém que foi destruído há quase dois mil anos. Não existe mais. Onde então você iria levar o seu dízimo?

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
     
 



Se os demonios creem por que nao sao salvos?

 


https://youtu.be/fZYZPWE7ObY

Você escreveu dizendo: "A Bíblia diz que crer, até os demônios creem e também tremem. Então como você diz que basta crer em Cristo sem fazer nenhuma obra e com isso já se tem a Salvação?" A questão é: Será que é isso mesmo que a Bíblia diz? Se ler Tiago 2:19 verá que existe um equívoco na forma como a passagem costuma ser citada por aqueles que defendem a tese de que não basta crer em Cristo para ser salvo. Na Bíblia está assim: "Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem."

O que diz aí é que os demônios creem que Deus é um só, e não que creem em Cristo como Salvador. Quando os discípulos perguntaram que obras — no plural — precisariam fazer, o Senhor respondeu no singular e falou da única obra. "Dirigiram-se, pois, a ele, perguntando: Que faremos para realizar as obras de Deus? Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado." (Jo 6:28-29).

Os demônios nem precisavam crer pela fé em Cristo para saber que ele existe e quem ele é, pois fica muito claro que conhecimento eles tinham quando se encontraram com Jesus na província de Gadara: "Tendo ele chegado ao outro lado, à terra dos gadarenos, saíram-lhe ao encontro dois endemoninhados, vindos dos sepulcros; tão ferozes eram que ninguém podia passar por aquele caminho. E eis que gritaram, dizendo: Que temos nós contigo, Filho de Deus? Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo?" (Mt 8:28-29).

Obviamente saber que Deus é um só e que Cristo é o Filho de Deus não é suficiente para alguém ser salvo, porque os demônios sabem muito bem disso. E eles não só não podem crer em Cristo, como também não iriam querer crer naquele que irá herdar todas as coisas, considerando que são militantes de Satanás, o arqui-inimigo do Filho de Deus. Eles seguem aquele que sempre quis usurpar o lugar de Cristo como Senhor; eles seguem aquele que é hoje o Príncipe deste mundo, o diabo.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
     
 



Deus fixou em 120 anos a idade maxima do homem?

 


https://youtu.be/hlB96Tvm6pw

Você perguntou se os 120 anos mencionados em Gênesis 6 seriam o limite de idade para os seres humanos viverem após o Dilúvio, e se esse limite continuaria valendo para hoje. Não, cento e vinte anos seria o tempo que Deus iria esperar para dar uma chance aos seres humanos de se converterem com a pregação de Noé antes de enviar o dilúvio que mataria a todos.

"Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos". (Gn 6:3).

Como não houve arrependimento — ao contrário de Nínive, mais tarde, que se arrependeria mediante a pregação de Jonas — Deus enviou o dilúvio 120 anos depois de ter avisado Noé. Esse também foi o tempo dado para Noé ser o pregoeiro da justiça, avisando as pessoas do juízo que estava por vir, e ele fez isso pelo Espírito de Cristo, como aprendemos 1 Pedro 3:19 e 4:6. Vou acrescentar comentários [entre chaves] para você entender melhor o significado do texto:

"Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito; no qual [Espírito] também foi, e pregou [por intermédio de Noé] aos espíritos [agora] em prisão; os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água... Porque por isto foi pregado o evangelho também aos [que hoje estão] mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito."

Ao comentar a passagem em que Deus dá 120 anos de prazo para os homens se converterem antes de lançar o dilúvio, William MacDonald comenta: "O Senhor avisou que Seu Espírito não contenderia com o homem para sempre, mas que haveria um atraso de cento e vinte anos antes de ocorrer o juízo do dilúvio". L. M. Grant tem a mesma opinião, dizendo: "Deus, por meio de Seu Espírito, tinha estado contendendo com os homens contra a pecaminosa vontade deles, as Sua paciência chegaria ao fim, embora Ele ainda iria permitir mais 120 anos antes de destruir a civilização". Outro que comenta algo semelhante é F. B. Meyer: "Mas o Espírito de Deus insistiu com o homem, e apesar de ter sido colocado um limite para Suas súplicas, Deus buscou homens com arrependimento sincero, até que o Seu Espírito Santo recebeu a negativa final e se afastou triste e desapontado. A postergação do juízo foi considerável. O Espírito de Deus aguardou por 120 anos".

Mais um comentário, de Geisler/Howe, diz: "A passagem entra em conflito com as idades das pessoas que viveram mais que 120 anos em Gênesis 11:12-16. Portanto, a ideia (da longevidade de 120 anos) eu acredito ser baseada numa má leitura ou má interpretação do texto. Os cento e vinte anos mencionados por Deus em Gênesis 6:3 não podem significar um limite para o tempo de vida de seres humanos, já que você encontra pessoas mais velhas que isso que são mencionadas alguns capítulos depois no livro de Gênesis, incluindo o próprio Noé. O significado mais provável é que o Dilúvio do qual Deus havia alertado Noé, não aconteceria até 120 anos após o aviso inicial dado a Noé. Isso é melhor explicado em 1 Pedro 3:20, onde lemos: "Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca". Portanto, considerando o contexto da passagem de Gênesis 6:3 ele estaria bem conforme ao que encontramos no capítulo 11 do mesmo livro (que fala do tempo de vida de pessoas após o dilúvio)"

por Mario Persona


Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
     
 


Como o cristao deve se posicionar politicamente?

 


https://youtu.be/F-rdTFbX-yk

Provavelmente você não irá concordar com meu posicionamento, principalmente se pertencer a alguma religião cristã que adote a "Teologia do Pacto", aquela que considera a Igreja uma mera continuação de Israel. Nesta classe estão o catolicismo e a maior parcela do protestantismo e pentecostalismo. É compreensível que discorde, se não tiver percebido as diferentes dispensações ou modos de Deus tratar com a humanidade na Palavra de Deus, e também a diferença entre o povo terreno de Deus (Israel) e o povo celestial (Igreja).

Enquanto as condições do país continuam a se deteriorar, existindo sempre a possibilidade de uma intervenção militar para desempatar, e enquanto naturalmente somos afetados em nossas emoções, com posições que desfazem amizades e dividem famílias, é bom lembrar que, para quem crê na Bíblia, a Palavra de Deus, não importa se irá prevalecer o partido "A" ou "B", o governante "X" ou "Y". Qualquer um, consciente ou não, fará parte do processo de pavimentação do caminho para o Império Romano revivido e o governo da besta, além do falso profeta (o anticristo).

A esquerda deixou um rastro de sangue na história do mundo (94 milhões de vítimas, segundo "The Black Book of Communism") e provou não funcionar porque o homem é egoísta por natureza ("Distribuir riqueza? Só se for a do outro!" — diz o coração humano). A direita também teve sua chance de mostrar os dentes ao longo da história (25 milhões só do Nazismo), mas o meu palpite é que será mais para esse lado que os ventos soprarão até a chegada do tirano que será recebido pela população como o salvador do mundo.

Ao cristão cabe ser sábio o suficiente para não se deixar fazer massa de manobra e bucha de canhão, nem de um, nem de outro lado ou partido. Considerando que é Deus quem "muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis" (Dn 2:21), como você se sentiria ao saber que votou ou apoiou contrariamente ao que Deus determinou, caso não tenha sido o seu partido ou candidato o vencedor?

Então alguém dirá: "Mas omissão é pecado!". Se assim for, Jesus, os apóstolos e os primeiros cristãos poderiam ser chamados de omissos, já que não moveram uma palha para alterar as condições políticas de sua época. Tiveram influência sim, com suas vidas e pregação, mas nunca tentaram mover as peças do xadrez político para as alinharem aos seus próprios caprichos ou interesses. E motivo não faltava, já que eram cruelmente perseguidos, escravizados e mortos por tiranos perto dos quais os líderes de hoje não passam de aprendizes.

Nem Jesus e nem os primeiros cristãos tentaram mudar as coisas porque bem sabiam que o reino de Jesus não era deste mundo. É claro que seus discípulos só foram entender isso mais tarde, e não nos evangelhos, pois ficaram desapontados quando a carreira daquele que seguiam terminou na cruz. "E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram" (Lc 24:21), disseram dois deles pouco antes de Jesus ressuscitado se revelar a eles. Mas com a vinda do Espírito Santo e a formação da Igreja em Atos 2 tudo ficou muito claro, pelo menos até poucos séculos mais tarde a igreja ser vista "onde está o trono de Satanás" (Ap 2:13), isto é, o mundo.

Um dia Cristo voltará para governar este mundo tendo a Igreja, sua esposa, ao seu lado. Mas ainda não chegou a hora. Neste momento o príncipe daqui é o diabo, Satanás, e um crente sábio irá entender que tentar mudar isso é dar murro em ponta de faca. Os homens entregaram ao diabo todos os reinos do mundo, primeiro ao serem culpados de irem na sua conversa no Éden, depois quando disseram de Jesus: "Nao queremos é que este reine sobre nós" (Lc 19:14). Portanto, não se espante quando os governos do mundo são injustos e tomam decisões equivocadas. Isso só confirma que os reinos estão sob o poder de Satanás, não de Cristo.

A condição do mundo atual é a mesma de quando Jesus foi tentado: "E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu." (Lc 4:5-7). Essa condição só irá mudar no futuro, quando o diabo perder os reinos que agora domina: "E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre." (Ap 11:15).

Ao se despedir de seus discípulos Jesus foi muito claro: "Agora, é o juízo deste mundo; agora, será expulso o príncipe deste mundo. Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo e nada tem em mim." (Jo 12:31-32).

Um irmão costumava dizer que ao lado de cada governante deste mundo existe um demônio pronto para assessorá-lo. Mas será que isso tem fundamento bíblico. Tem, e um exemplo está em Daniel 10: "Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." (Dn 10:13). Se você considerar que Miguel é aquele que tinha a missão de proteger Israel, fica evidente que os reis da Pérsia tinham também seu "Príncipe", que obviamente era um anjo ou espírito maligno. Se você entende profecia sabe que chegará um dia quando o mundo será governado pela besta e pelo anticristo, criaturas energizadas pelo próprio Satanás e que serão recebidas com aplauso e adoração.

Cabe aqui a célebre frase de Paul Henri Spaak, primeiro presidente da Assembléia Geral das Nações Unidas, disse uma vez: “O que queremos é alguém de calibre para fazer uma aliança de todos os povos e nos tirar do lamaçal econômico no qual estamos afundando. Que venha tal homem, seja ele Deus ou o Diabo, e nós o receberemos.” Se esse dia chegar quando você ainda estiver aqui, será que irá querer fazer parte da política que irá aclamar esse líder? Mas não precisa se assustar com o que eu digo porque se você realmente creu em Jesus como seu Salvador e recebeu dele a salvação eterna por graça somente, você será tirado do mundo antes da manifestação da besta e do anticristo.

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
     
 


More Recent Articles


You Might Like

Click here to safely unsubscribe from "O que respondi...."
Click here to view mailing archives, here to change your preferences, or here to subscribePrivacy