Leitura: Marcos 6:34-38Vídeo: https://youtu.be/jCmAnE99Xw4 Quando Jesus fez o convite, “Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco” (Mc 6:31), aquilo soou como música para os discípulos. Mas não demorou para as multidões ...

Your email updates, powered by FeedBlitz

 
Here are the FeedBlitz email updates for you. Click here to start your FREE subscription



#746 Alimento espiritual and more...

#746 Alimento espiritual

 



Quando Jesus fez o convite, “Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco” (Mc 6:31), aquilo soou como música para os discípulos. Mas não demorou para as multidões descobrirem onde estavam, e a reação de Jesus e dos discípulos não é a mesma. O Senhor tem compaixão daquelas que “eram como ovelhas sem pastor” (Mc 6:34). Os discípulos parecem mais interessados em se livrar delas: “Manda embora o povo para que possa ir aos campos e povoados vizinhos comprar algo para comer”. (Mc 6:36). Qual não é a surpresa deles quando Jesus lhes diz: “Deem-lhes vocês algo para comer” (Mc 6:37).

Quando o versículo 34 diz que Jesus começou a ensinar muitas coisas às multidões, os discípulos não pensaram que se sentariam na classe como alunos, não como professores. Antes de ensinar eles precisam aprender algo que fará deles instrumentos de Deus para alimentar multidões com sua Palavra. Ao receberem o alimento puro das mãos da única fonte segura que é Cristo, a responsabilidade dos discípulos era de passá-lo adiante sem mistura ou contaminantes. E assim fizeram por meio de suas pregações, ensinos e textos inspirados, os quais chegaram até nossos dias.

Pedro usa o leite como analogia da Palavra: “Como crianças recém-nascidas, desejem de coração leite espiritual puro.” (1 Pe 2:2-3). Mas como saber se o leite que alguém ministra é espiritual e puro? Verificando se é ministrado no mesmo espírito de Cristo, com a mesma compaixão que teve ao olhar para aquela multidão “como ovelhas sem pastor” (Mc 6:34). O versículo anterior nos dá algumas pistas: “Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações (1 Pe 2:1).

O “leite espiritual puro” não vem acompanhado de “malícia”, ou segundas intenções. Também não traz “engano”, que são gotas de erro e má doutrina misturada ao alimento espiritual. Os “fingimentos” nos falam da hipocrisia de pessoas que querem parecer algo que não são apenas para alcançarem seus intentos. A “inveja” é outro aditivo que falsos pregadores misturam ao leite da Palavra quando estimulam você a querer possuir o que não tem. Os pregadores de prosperidade são mestres em “batizar” o leite que entregam em seus púlpitos, transformando seus seguidores em eternos insatisfeitos. E é disso que nos fala o termo “murmurações”. Já ouviu alguém pregar que você deve estar revoltado e não se conformar com o que possui, exigindo mais de Deus? Então você sabe o gosto do “leite” contaminado.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
    
 



#745 Ovelhas sem pastor

 



Se por um lado Jesus é o mantenedor de toda matéria para que o universo não se desintegre voltando a um oceano de coisa nenhuma, por outro ele é o único capaz de manter e sustentar cada ser humano. Infelizmente nem todos querem ser mantidos e sustentados por ele por não se reconhecerem perdidos e desamparados. Jesus “viu uma grande multidão, e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas.” (Mc 6:34).

Se você deseja ser realmente pastoreado e ensinado por Jesus nas “muitas coisas” que homem algum poderá lhe ensinar, é preciso antes se reconhecer perdido e desgarrado. É preciso reconhecer que somente nele — e não em alguma religião, líder espiritual ou filosofia — você encontrará descanso para sua alma atribulada. Afinal é dele o convite que diz:

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.  Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mt 11:28-30).

É na hora da necessidade que descobrimos quem realmente é capaz de nos atender. Aquela multidão que se reuniu para ter suas almas alimentadas por Jesus precisava também de suprimento para o corpo. “Já era tarde e, por isso, os seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: ‘Este é um lugar deserto, e já é tarde. Manda embora o povo para que possa ir aos campos e povoados vizinhos comprar algo para comer.’” (Mc 6:35-36).

Jesus agora irá ensinar uma lição também aos seus discípulos, que ainda não tinham compreendido de quem vinha todas as coisas. Para eles a solução para a multidão faminta é mandar todos embora para cada um providenciar seu próprio alimento. Jesus diz a eles: “‘Deem-lhes vocês algo para comer’. Eles lhe disseram: ‘Isto exigiria duzentos denários! Devemos gastar tanto dinheiro em pão e dar-lhes de comer?’ Perguntou ele: ‘Quantos pães vocês têm? Verifiquem’. Quando ficaram sabendo, disseram: ‘Cinco pães e dois peixes’.” (Mc 6:37-38).

De outro evangelho aprendemos que nem mesmo esses cinco pães e dois peixes eram dos discípulos, mas de um jovem que estava disposto a entregar tudo a Jesus. E é assim que tem início o milagre da multiplicação, que Jesus continua fazendo para quem coloca tudo nas mãos dele.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
    
 



#744 A partícula de Deus

 



Jesus e seus discípulos “se afastaram num barco para um lugar deserto. Mas muitos dos que os viram retirar-se... correram a pé de todas as cidades e chegaram lá antes deles. Quando Jesus saiu do barco e viu uma grande multidão, teve compaixão deles, porque eram como ovelhas sem pastor. Então começou a ensinar-lhes muitas coisas.” (Mc 6:32-34).

O descanso que Jesus tinha proposto aos discípulos tinha mais a ver com as necessidades deles do que com as do próprio Jesus. Ele não tinha vindo o mundo em viagem de lazer, mas a trabalho. Aos fariseus, que o acusavam de fazer curas no sábado, ele respondia: “Meu Pai continua trabalhando até hoje, e eu também estou trabalhando” (Jo 5:17). E como poderia ser diferente com aquele que é o Mantenedor de todas as coisas?

Você já se perguntou como é que os corpos celestes, ou até mesmo os átomos que compõem a matéria, permanecem em seus lugares, ordenados para não se misturarem? Você já se deu conta de que seu corpo e toda matéria é formada por uma mesma partícula elementar chamada “quark”? Ou seja, seu corpo não é diferente do sofá onde você cochila. Mas se tudo são partículas, por que as que compõem seu corpo continuam sendo seu corpo e não se misturam com as do sofá onde se deitou para cochilar?

Porque Jesus é quem sustenta as partículas que compõem a matéria e muito mais. Os cientistas buscam o que sustenta tudo e até apelidaram a suposta partícula ou força que mantém todas as coisas de “Partícula de Deus”. Alguns cientistas cristãos já descobriram que aquilo que outros chamam de “partícula” é na verdade uma Pessoa divina, Jesus. Foi por meio dele que Deus “fez também o mundo”, o qual, sendo o resplendor da glória de Deus “e a expressa imagem da sua pessoa” sustenta “todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hb 1:2-3).

Você ouviu que Jesus é “o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus... Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (Jo 1:1-3). Verbo é Palavra em ação, e é esse mesmo Verbo que “sustenta todas as coisas” em uma ação contínua e constante. Mesmo quando seu corpo morto pendia da cruz, Jesus continuava mantendo o Universo funcionando, ou tudo deixaria de existir. Somente alguém que é “o Alfa e o Omega, o princípio e o fim... que é, e que era, e que há de vir” (Ap 1:8) poderia sustentar todas as coisas, pois para isso precisaria ser eterno e existir antes e depois delas. Sabia que Jesus é Deus?

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
    
 



#743 Descansem comigo

 



Quando os discípulos voltam da missão à qual haviam sido enviados de dois em dois, é provável que estejam sentindo um misto de entusiasmo e decepção. Digo isto se o sentimento for igual ao de alguém que hoje sai para levar a Verdade. A rejeição já havia começado, e a morte de João Batista era um sinal disso. Hoje quem sai levando a Verdade deve se preparar para colher alegrias, mas também tristezas diante da incredulidade e rejeição.

Em países pagãos você corre o risco de sofrer perseguição física por causa da superstição e idolatria. Alguns até proíbem a evangelização em locais públicos. Mas nos países chamados cristãos a perseguição será mais psicológica, porém também gerada por superstição e idolatria. Dois mil anos foram suficientes para transformar o cristianismo, aos olhos do mundo, em uma religião como as outras, com rituais, regras e costumes.

“Os apóstolos reuniram-se a Jesus e lhe relataram tudo o que tinham feito e ensinado. Havia muita gente indo e vindo, a ponto de eles não terem tempo para comer. Jesus lhes disse: ‘Venham comigo para um lugar deserto e descansem um pouco’. Assim, eles se afastaram num barco para um lugar deserto.” (Mc 6:30-32).

É comum alguém voltar de uma missão e fazer um relato aos irmãos para mostrar os resultados da viagem. Um exemplo disso está em Atos 14:27, quando Paulo e Barnabé, ao voltarem a Antioquia, “reuniram a igreja e relataram tudo o que Deus tinha feito por meio deles e como abrira a porta da fé aos gentios.”. Mas quando contamos primeiro ao Senhor, como eles fazem aqui, somos menos propensos a exagerar nosso relato. Afinal, o Senhor sabe tudo e não será enganado por nossa imaginação.

Eles apresentam, não apenas o que haviam feito, mas também o que tinham ensinado. É sempre bom checar com a Fonte se o nosso ensino está alinhado com o pensamento do Senhor. Se eles fossem meros soldados de um batalhão voltando da linha de frente, talvez o Senhor lhes desse alguma nova tarefa. Mas não; ele sabe que estão cansados e os convida ao descanso. Mas antes que você pense em descanso cristão como entretenimento, algo como o do soldado de licença que tira a farda e vai se divertir longe do comandante, repare com quem eles são convidados a descansar: “Venham comigo... e descansem um pouco”, diz Jesus a eles, a você e a mim. Você já pensou em incluir Jesus em seu descanso?

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
    
 


#742 Sepultamento

 

Leitura: Marcos 6:29

Depois de João Batista ter sido decapitado por ordem de Herodes, “os discípulos de João vieram, levaram o seu corpo e o colocaram num túmulo.” (Mc 6:29). Eles não cremaram seu corpo, como os pagãos, mas agiram à maneira judaica. Na Lei havia instruções para o sepultamento, inclusive de criminosos: “Se um homem culpado de um crime que mereça a morte for morto e pendurado num madeiro, não deixem o corpo no madeiro durante a noite. Enterrem-no naquele mesmo dia” (Dt 21:22-23).

Profeticamente isso falava de Cristo, e apesar de lhe ter sido destinado “um túmulo com os ímpios”, esteve “com o rico em sua morte” (Is 53:9). Dois homens ricos e influentes — José de Arimateia e Nicodemos — “tomando o corpo de Jesus, o envolveram em faixas de linho, juntamente com as especiarias, de acordo com os costumes judaicos de sepultamento. No lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim; e no jardim, um sepulcro novo, onde ninguém jamais fora colocado.” (Jo 19:40-41).

Eclesiastes 6:3 diz que “e alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele”.  As três primeiras pessoas que morreram no período da Igreja foram sepultadas. Ananias, que “os moços vieram, envolveram seu corpo, levaram-no para fora e o sepultaram”, e Safira, que “sepultaram ao lado de seu marido.”  (At 5:6, 10). Mais tarde “alguns homens piedosos sepultaram Estêvão” (At 8:2). Vemos, portanto, que a prática cristã é sepultar, e não cremar.

No Antigo Testamento Deus se indignou com Moabe que “queimou até reduzir a cinzas os ossos do rei de Edom” (Am 2:1). A respeito da besta, Daniel 7:11 diz que “seu corpo foi destruído e atirado no fogo” e Apocalipse 19:20 diz que ela e o anticristo serão “lançados vivos no lago de fogo que arde com enxofre.” . Certamente Deus prefere dar um destino diferente ao corpo de um crente, que é “santuário do Espírito Santo” (1 Co 6:19), e deve ser tratado com dignidade, tanto na vida como na morte.

Nada podemos fazer se a morte for por incêndio ou explosão, mas quando possível o corpo deve ser sepultado como nos exemplos da Bíblia. Trata-se de uma atitude de respeito, mas se você, sem saber disso, destinou à cremação o corpo de algum ente querido, se ele morreu na fé também se beneficiará do fato de que Cristo “transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso.” (Fp 3:21).

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
    
 


More Recent Articles


You Might Like

Click here to safely unsubscribe from "O EVANGELHO em 3 minutos."
Click here to view mailing archives, here to change your preferences, or here to subscribePrivacy